quinta-feira, maio 24, 2007

Resposta ao Sr. Anónimo

Antes de mais gostava que se identificasse nem que seja com um pseudónimo para não estar sempre a chamá-lo Anónimo!

Eu também não gostava de discutir o que está mal na Trofa, mas a verdade é que só vejo coisas más. Ou pelo menos são tantas que as boas nem se notam.
São a falta de infra-estruturas de desporto. São a mania de encaminhar todo o tráfego automóvel para o centro. São as obras que começam e nunca mais acabem. São as obras que começam e acabam mal. É a falta de direcção em termos urbanisticos.
Ainda agora falam na variante ferroviária como uma coisa fabulástica que toda a gente necessitava. E a variante rodoviária que já se fala à mais de 20 anos?
Por favor esteja à vontade de dizer as boas que se lembrar.

Quanto ao tema "cultura vs património vs história local" agradecia que especificasse mais pois não sei o que quer dizer.
Iniciativas culturais que têm havido?
Património? Não conheço...
História local? Não conheço, mas sei que existe.

Quanto ao que as cidades à volta da Trofa têm melhor?
Eu escolhi Vila do Conde para morar nos próximos anos e tenho a dizer:
- instalações desportivas
- piscinas
- zonas de passeio a pé e de bicicleta
- trânsito (à excepção de Julho e Agosto)
- muitos cafés e pastelarias
- vias-rápidas/auto-estradas perto
- mar (esta não vale)
- etc

Cumprimentos,

8 comentários:

Jaime Toga disse...

http://jaimetoga.blogspot.com/

defensora disse...

deve axar k e melhor que todos os outros para comentar tudo o que ta mal...e que tal deixar de ser burro e ver que tamos em crescimento e as mudanças tao ser feitas aos poucos...espero bem que mudes de cidade porque e mau demais ter um trofense como tu...es a vergonha da trofa

Reise disse...

Para a defensora:
Primeiro eu sempre escrevi em português ao contrário de ti que escreves em pitês.
Segundo eu nunca insultei e também não te admito que venhas para aqui insultar-me dessa maneira.
Terceiro, eu nunca disse uma mentira que fosse aqui, e aliás muitas das coisas que escrevi nesta página continuam exactamente como estavam na altura que as coloquei aqui, e já foram à alguns meses e outras até anos! Além disso, o que eu aqui apresento é o espelho da minha intenção cívica e, também uma forma de ajudar a sinalizar os aspectos menos positivos.
Já que és assim tão defensora da Trofa, porque é que não contrapões com o que está bem e achas exemplo a seguir?
Não dás exemplos de coisas boas feitas pela câmara?
Porque é que não usas um pseudónimo sem ser anónimo?
Eu também já estou em crescimento à mais de 30 anos, sempre aqui na Trofa, e lamento dizer o que digo, mas o crescimento foi muito mau, continua a ser mau, e há-de continuar a ser enquanto não se deixarem de fazer festas para os velhos e crianças e usar o dinheiro para arranjar estradas, limpar bermas, criar um parque que as pessoas gostem de ir passear, desviar o trânsito do centro, tratar das freguesias limítrofes, etc,etc.
Cresce, aparece e vê a realidade!
Com os melhores cumprimentos.
Beijinhos.

Anónimo disse...

entao o que achas que o municipio deve fazer?????
se nao e melhorar o conselho que e que vai melhorar????
os melhores cumprimentos

Reise disse...

O municipio deve cuidar do conselho, mas com cuidado.
Por exemplo, acho muito bem isto do saneamento e da água canalizada, mas porem-se para aí a abrir estradas a torto e a direito sem depois as repararem como deve ser não devia ser permitido.
Acho que não há uma rua na Trofa inteira que esteja plana. É só buracos mal tapados, paralelos colocados de ordem aleatória, lombas feitas com alcatrão, tampas de saneamento disniveladas, etc.

Xiquinha disse...

Bem...
Há muito tempo que não vinha aqui mas verifico que o tom não é o mais gracioso.
Já aqui estive e fui autora de alguns comentários sempre como anónima, mas verificando que existem mais anónimos a participar inclusivamente em situações que eu lançei, opto por criar esta alcunha para diferenciar.

Sobre o assunto que vejo aqui ser discutido devo dizer que, nunca sendo a favor de insultos e uso de línguagem menos própria, concordo na génese com o que a defensora disse ao afirmar que este é um conCelho novo e que está a apostar exactamente naquilo que deve, ou seja, estruturas de base. Também me chateio com o facto das ruas estarem neste estado mas é um mal necessário e extremamente útil. E acho muito bem que a câmara gaste dinheiro com as ruas, assim como o fez com as escolas e como o faz com as crianças e idosos. Nós, cidadãos da Trofa não devemos ser radicais. Acima de tudo a nossa crítica deve estar sintonizada com a realidade. Embora reconheça que fazem falta muitas outras coisas no conCelho, as quais dá como exemplo existirem noutros concelhos vizinhos, verifico que roma e pavia não se fizeram num dia. E mais do que isso entendo que apanhamos um período muito pouco favorável a investimentos públicos, além de não podermos contar com o governo para coisa alguma. Por acaso estão a par do verba do PIDAC atribuida à Câmara da Trofa? Não acham que 0 euros é um insulto para quem está a criar um concelho com a importância estratégica e geográfica que tem a Trofa?

Proponho uma reflexão sobre este assunto e vamos lá dar contributos válidos para a Trofa.

Xiquita disse...

Sr. Raise

Não posso tambem deixar de comentar a frase que deixou à defensora:

"Já que és assim tão defensora da Trofa, porque é que não contrapões com o que está bem e achas exemplo a seguir?
Não dás exemplos de coisas boas feitas pela câmara?"

E tomo a liberdade de responder porque me considero uma cidadã interessada e informada pelas inicitivas e projectos levados a cabo pela Câmara Municipal e que sem dúvida vieram melhorar a nossa qualidade de vida.

Aqui vão alguns dos exemplos:

- há 6 anos atrás, sendo um estudante, onde teria de se deslocar, para consultar livros e outras obras de referência, e consultar gratuitamente a internet, ou usar computadores para fazer os seus trabalhos?
resposta: Famalicão, St. Tirso (e mal servido), Vila do Conde, Porto...
E hoje, sabe onde pode ir?
resposta: Casa da Cultura da Trofa

- Sendo um idoso ou alguém muito válido mas que não tem enquadramento profissional, onde poderia passar os seus tempos livres, partilhar a sua experiência de vida e participar na vida comunitária?
resposta: a lado nenhum
E agora?
No centro comunitário, por exemplo ou noutras estrututas concelhias que são logistica e financeiramente apoiadas pela Câmara.

- se fosse deficiente fisico e/ou mental e necessitasse de se deslocar para um centro ou uma escola onde passasse os seus dias, como se deslocava?
resposta: a familia levava-o e encarregava-se das despesas ou pagava a um taxi. E agora?
usa o transporte gratuito da CMT, com motorista à porta.

- tem um filho na escola mas a escola é longe de casa, como ia o seu filho para a escola:
resposta: de autocarro (se lá passasse e pagava o passe), você levava-o ou então ia a pé à chuva e ao vento. E agora? Vai no transporte da CMT.

- o seu filho estuda numa EB1 que não tinha cantina. Lembra-se que muitas das escolas n serviam refeições? Você não pode ir buscá-lo para almoçar. Onde comia o seu filho? Resposta: Nessa altura não sei mas agora come na escola pois aquelas que não têm cantina têm o mesmo acesso às refeições confeccionadas noutras cantinas e transportadas (por carros da câmara) para essas escolas.

Tinha um peuqueno assunto a resolver em tribunal, onde ia? A St. Tirso. A agora tem à sua disponibilidade o Tribunal da Paz.

Gostava de ser informado sobre os direitos dos cidadãos, onde se dirigia? A lado nenhum. Agora tem um gabinete de apoio ao cidadão na Trofa.

- É uma criança ou jovem de risco, quem o acompanhava? Ninguém. E agora? Pode pedir ajuda à CPCJ a funcionar por inicitiva da Câmara.

Quer mais?
Informe-se...
Da minha parte voltarei para ajudar a esclarecer naquilo que eu souber.

Acho apenas que sem dúvida tenho melhor qualidade de vida e mais oferta social, cultural e educacional do que tinha antes de sermos concelho e muito se deve à iniciativa da Câmara.

Xiquinha disse...

Xiquinha e Xiquita são a mesma pessoa